Sustentabilidade: conheça o forno solar

Somos mais de 7 bilhões de habitantes no planeta, portanto uma quantidade enorme de pessoas que em seu cotidiano utiliza diversas formas de energia em grande quantidade, seja para iluminação, transporte, processos produtivos, ou mesmo para cozinhar. Atualmente em várias regiões pobres do mundo o preparo de alimentos ainda é realizado tendo como energia principal a queima de lenha, fato que provoca a destruição de ecossistemas e liberação de gás carbônico, que além de poluir o ar também atua no aumento da temperatura, levando ao aquecimento global e às mudanças climáticas.

energia_solar

Autor: NASA                 Imagem de domínio público



Contudo, há uma quantidade absurda de energia em forma de calor que chega até a Terra todos os dias e que ainda não é devidamente aproveitada pela humanidade. Do que estamos falando? Simplesmente, da estrela mais próxima do nosso planeta, o Sol, cuja energia pode ser utilizada de diferentes formas, sendo uma delas, cozinhar.

Isso mesmo que você leu, é possível se cozinhar com o calor do Sol, através de equipamentos bem simples, que você deve até ter aí em sua casa. Vamos então ver como essa funciona essa maravilha sustentável que trás economia e conserva o meio ambiente.

Existem basicamente três tipos de fornos solares: Concentradores solares ou parabólicos, fornos em caixa e painéis solares.




Concentradores solares ou fogão parabólico

São feitos a partir de conchas espelhadas com formato de parabólica, daí o seu nome. Os raios solares ao entrarem em contato com a superfície concava do fogão são refletidos e estes se cruzam no ponto focal, local onde se concentra a energia em forma de calor, portanto, onde a panela ou outro recipiente onde estiver o alimento deve ser posto.

fogao_solar_parabolico_concentrador

Autor: Fluffyarse       Os raios solares estão se concentrando sobre o ponto onde esta a panela

Este sistema é extremamente eficiente, podendo gerar calor superior a 300 graus centígrados, o que possibilita que alimentos sejam cozidos, ou mesmo, assados.

Devido a rotação da Terra e o consequente movimento aparente do Sol, é necessário que a cada 30 minutos se reposicione o fogão para que este capte a maior quantidade possível de raios solares em sua superfície refletiva.

O vídeo abaixo não é de um forno solar parabólico, mas segue o mesmo princípio, a concentração de raios solares em um único ponto. Assistam e vejam quão grande é a força da energia solar.

Fornos em caixa

Este tipo de forno solar baseia-se no processo de efeito estufa para a retenção de calor e o preparo de alimentos, que podem ser cozidos ou mesmo assados, uma vez que sua temperatura pode ultrapassar facilmente os 100 graus centígrados.

É constituído por uma caixa, que pode ser até de papelão, cuja “boca” é tampada com uma placa de vidro. Internamente há placa de metal pintada de preto no fundo e em suas paredes, papel alumínio ou mesmo espelhos.

forno_solar_caixa

Autor: NicolauBF    Forno Solar do tipo caixa confeccionado pela empresa Pleno Sol no Brasil.

Os raios solares passam pelo vidro e seu calor é refletido pelas paredes internas em direção a panela e o fundo do forno, que devem ser pretos, pois esta cor tem maior capacidade de retenção de calor. Pode haver também uma placa externa que reflete mais raios solares em direção ao vidro do forno, a fim de potencializar o sistema e aumentar o poder de cozimento.

Os fornos em caixa também devem ser reposicionados, como os parabólicos, porém a cada 2 ou três horas.

O interessante deste sistema é que pode ser feito em casa, com um baixo custo e com muitos materiais que talvez você já possua, como uma caixa de papelão, vidro, papel alumínio, dentre outros. Assista o vídeo e veja mais detalhes:

Painéis solares

O painel é o modelo mais simples e apesar de parecer frágil, dá para cozinhar qualquer coisa nele, porém com cerca de três vezes mais tempo que o fogão a gás. Para facilitar o cozimento, recomenda-se que seja usada uma panela e cor preta, envolvida por um saco plástico transparente para impedir que o calor fuja.

forno_solar_painel

A construção do forno solar de tipo painel é relativamente simples, sendo necessário apenas papelão no formato adequado do projeto, papel alumínio e fita adesiva.

O funcionamento do painel é bem simples, os raios solares ao incidirem sobre a cobertura de papel alumínio são refletidos em direção a panela, o que ocorre devido ao formato deste forno. A panela, por ter cor preta, acumula maior quantidade de calor, o qual é conservado devido ao plástico nela envolvido, que provoca um “efeito estufa”. Devido ao movimento de rotação da Terra e do tempo de cozimento de alguns alimentos, talvez seja necessário o redirecionamento do aparelho para os raios solares.

Também deve ser ressaltada como vantagem, além do baixo custo de confecção, o fato de os alimentos não queimarem.

Vantagens do fogão solar

O uso da energia solar para o preparo de alimentos apresenta uma série de benefícios, como a economia de dinheiro, uma vez que pode ser feito a partir de materiais de baixo custo, mas além disso trouxe conforto para várias regiões do planeta,, sobretudo em áreas mais pobres. Não agride ao meio ambiente, pois utiliza uma fonte renovável de energia, além de evitar o uso de outras fontes mais poluentes, ou seja, apresenta sustentabilidade. Não há risco dos alimentos queimarem como nos fogões convencionais.

Desvantagens do fogão solar

A desvantagem que a energia solar apresenta para o preparo de alimentos é o fato desta estar presente apenas durante o dia, e claro, mesmo durante o dia é necessário que o céu esteja claro, com baixa nebulosidade para a sua maior eficiência. Geralmente necessita de maior tempo para o preparo dos alimentos.

Comentários

comentários